Visite o SPIN
SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

quinta-feira, 3 de junho de 2010

O IV Avatar dança em frente a lata d'agua como se fosse, e era, espelho


Trata-se de dançar em frente uma lata de alumínio volume 18 litros. Em muitas regiões do Brasil tais latas são usadas para o transporte de água, sendo que são apoiadas sobre uma base de pano colocada sobre a cabeça. … (mais informações) (menos informações)

O Da Lata tirou a roupa e dançou

depois se arrependeu, pois poderia ter mandado digitalizar, já que havia ficado muiuto mas muito irritado mesmo ao dar-se conta de que até debaixo da cama havia amontados de textos escritos, agora sente falta, pois havia escrito sobre a história do IV Avatar ou Da Lata que, agora, aos poucos,,quem sabe

e fez o que adora fazer,,dançar
E dançou em frente a um
Aqui o IV Da Lata,,quer dizer IV Avatar dançando em frente a uma das latas achadas no Rio Balas,,
tocou fogo em tudo, jogou tudo no lixo,,vídeos,,textos, desenhos, pinturas,,
,,,no Rio Balsas, onde ele encontrou a base da sua obra, ou seja, 5 latas,,,
Depois encontrou mais latas, totalizando 74.
As 74 latas representam sua obra, sendo que cada lata corresponde um dia do seu calendário
É que no calendário do Da Lata ou IV Avatar existem74 dias, sendo que o dia 74 só ocorre de 4 em 4 anos,,em ano bissexto,,
O Da Lata usou as 70 latas d’agua para guardar as coisas que ia escrendo,,,estavam todas lotadas quando, num belo dia,,esquentou a cabeça com a contracultura e jogou tudo no lixo,,pasou uma semana jogando coisas fora, o catador de papel fez a festa,,ele ja fica esperando de manhã cedo eu descer com a papelada

Os bovinos pranteias seus mortos

Ah, que boas lembranças do meu pai,,,nós na roça na agricultura familiar,,,derrubando a mata, queimando,,fazendo as coivaras, plantando,,colhendo,,primeiramente na área rural, num lugarejo chamado Bananeira, está na minha memória aquela infinidade de tropeiros emitindo seus sons e tocando aquela centenas de burros transportando arroz, jeijão..
Ah, tanta coisa prá contar,,,os animais em pranto no sétimo dia,,,de longe eu ouvia os gritos dos bovinos,,era um canto de morte,,,meu coração cortava ao ouvir aquilo..
Meu pai matava um gado, o que ocorria uma vez por ano,
Pancada na cabeça com um machado, sangramento, lá debaixo de uma faveira, há uns 100 metros da nossa casa de palha que, para mim era uma mansão, até mesmo porque é assim que vemos as coisas na infância,,tudo grandioso,,,depois de grande é que vi que era um casebre de palha e não uma mansão..
Depois da morte do bicho eu contava 7 dias.
No sétimo dia chegava o rebanho chorando.
De longe eu ouvia os gritos dos animais e ficava muito triste, pois aquele choro coletivo me marcou para sempre.
O rebanho se dirigia exatamente para o local onde um dos seus entes havia sido morto,
Ali eles gritavam choravam mais alto ainda e batia com as patas no chão como se quisessem desentar o morto.
Só paravam de chorar quando chegava à exaustão, quando iam-se embora de luto
Muito triste esta passagem da minha infância

A morte dos peixes no Rio Balsas

A morte dos peixes no Rio Balsas por causa dos agrotóxicos começou na década de 70 com a diáspora gaúcha dentre outros povos sulistas, quando começaram por lá por causa da soja, lembro-me como se fosse.
Em Sambaíba, uma cidade às margens do Rio Balsas, onde passei minha infância, cansei de ver aquele tapete de peixes mortos descendo água abaixo,,,a mortandade era tão grande que a gente ia ao rio pela manhã e à noite e o cenário de morte era o mesmo.

Este artigo abaixo relata o que é mais comum acontecer no Rio Balsas, não entendo como este rio ainda está de pé diante de tantas agressões:

“Agrotóxico despejado em afluente deixa cobertor de peixes mortos em rio

O secretário municipal de Meio Ambiente de Alto Parnaíba (MA), Sílvio Péricles do Amaral Almeida, disse que recebeu uma grave denúncia de crime ambiental praticado no município. Moradores da localidade Serra Branca e adjacências, por volta do dia 15 de fevereiro, dizem ter visto uma grande quantidade de peixes mortos boiando no córrego Guido e rio Medonho, um dos principais afluentes da margem esquerda do Parnaíba.

A suspeita da morte dos peixes é de que tenham sido envenenados através de substâncias químicas vindas da Fazenda São Pedro I, que mantém grande área cultivada com soja e outras culturas temporárias, a mais ou menos 120 quilômetros do rio Parnaíba, no município de Alto Parnaíba.

Para os moradores da região, um funcionário da mencionada empresa rural teria se deslocado até a margem do córrego Guido, rebocando um pulverizador contendo aproximadamente 2 mil litros de inseticida, Como o trator não conseguiu arrastar o implemento agrícola, devido o peso e barranca úmida, o operador despejou o conteúdo do pulverizador dentro do manancial, ocasionado o delito ambiental.

A situação se agrava sobremaneira, quando se observa que a Fazenda São Pedro I faz limite com a APA (Área de Preservação Ambiental) das cabeceiras do rio Balsas, tributário que deságua no Parnaíba, da qual a defesa deve ser maior ainda, além de permanente.

“Impõe-se observar que o córrego do Guido é afluente do rio Medonho, por onde as criminosas conseqüências se estenderam, redundando desconforto e largo prejuízo, tanto às famílias ribeirinhas quanto à natureza, que houve afetada de modo intenso”, relata o secretário Péricles Almeida e acrescenta. “Ademais, os prejuízos das famílias foi de tamanha proporção, visto que não mais puderam utilizar as águas das referidas fontes para suas necessidades básicas. Por causa disso, foram obrigadas a escavarem cacimbas ou a buscarem água em outras longínquas cabeceiras”.

Diante do fato o secretário Péricles Almeida enviou ofício ao IBAMA, por meio do Escritório Regional de Balsas. Os fatos relatados foram testemunhados por diversos moradores das localidades atingidas, que prestaram depoimentos na Delegacia de Polícia de Alto Parnaíba.
Também foi oficiado o Ministério Público Estadual que, através da Promotoria de Justiça, deverá instaurar inquérito civil para apurar eventual prática de crime ambiental cometido pelo funcionário da Fazenda São Pedro I, ao despejar centenas de litros de agrotóxico num afluente do rio Parnaíba.’

http://www.cabecadecuia.com/noticias/42867/secretario-de-meio-ambiente-recebe-denuncias-de-crime-ambiental.html

Rio Balsas,,o meu rio,,o começo da história com 5 latas d' agua

Até agora não achei nada que me tiresse a dúvida sobre se o José Gomes que se apresenta como protetor do Rio Balsas é o mesmo que o devastou,,,
( ) Em observação
Vale a pena ler de novo o comentário de um balsense, ou seja, nascido perto do Rio Balsas,
Refiro-me a este comentário

Elói Eduardo Pritzel:
Parabéns edil Ruberval por se preocupar com o Rio Balsas a partir da sua nascente….escrevi a partir da nascente porque com certeza a preocupação vai se estender por toda a sua extensão, inclusive dentro da cidade, onde o maior indice demográfico significa MAIOR POLUIÇÃO.Comentei com amigos que hoje existem LAVA JATOS perto, muito perto do riacho Caetano que deságua no Rio Balsas…Nobre edil preste atenção a isto também…Tenho certeza que temos como mobilizar empresas, associações, escolas para manter a SALVO o Rio Balsas ou teremos daqui alguns anos um canal natural de esgoto cortando nossa cidade ou um “irmão gêmeo” do Rio Tietê…
Mais uma vez parabenizo sua ação em prol do Rio Balsas e ações efetivas que vão além de debates e discursos vãos… Grande abraço
FONTE: Blog do Vereador Ruberval/Balsas

Comentário do IV Avatar:
Este comentário do Pritzel me chamou a atenção porque o que ele diz pude conferir pessoalmente, adoro Balsas – Rio Balsas,,,inclusive é verdade o que ele diz sobre o Caetano,,o ricaho Caetano,,quando estive lá realizei apenas um vídeo e, por coincidência o Caetano aparece,,, ve este
Ficha Youtube, da minha autoria:
Trata-se de registrar o encontro de 5 latas abandonadas (ou colocadas ali como arte,
discurso, expressão?) na margem esquerda do Rio Balsas

O IV Avatar à procura de um Zé Gomes que devastou a nascente do Rio Balsas

Não sei se um simples comentário numa numa postagem escondida ecoará,,não tenho a minha idéia se esta minha intervenção por aqui surtirá algum efeito…a sensação que tenho é a de uma voz que não é escutada enquanto o rio morre,,,o que posso fazer,,,o que podemos fazer…
Lendo os comentários da postagem sobre a destruição da nascente do Rio Balsas, no comentário anterior, vejo que o povo se preocupa com a preservação do rio e tem esperança nos políticos,,,no entanto a sensação é de impotência pois, somente para exemplificar, quem destruiu a nascente do Rio Balsas foi, exatamente, um político que agora, talvez por conta das eleições, se apresenta como defensor do rio…Será que é outro com o mesmo nome? Será o José Gomes, aqui de Goiás? Vou deixar isso em observação, preciso descobrir se o José Gomes que destruiu a nascente do Rio Balsas é o mesmo que agora se apresenta como defensor do mesmo..estou muito confuso, há nomes parecidos,,,para mim era o José Gomes aqui de Goiás, que ficou em evidência quando Collor era presidente da república…
( ) Em observação

Olha só o interesse dos balsenses em preservar seu rio, o Balsas,


Warly:
Muito boa a ideia de preservar a nascente do rio, por que afinal é nossa maior riqueza natural.
Dr. Ruberval:
Pois é Warly, o rio tá sendo destruido lá onde custa menos acabar com ele. E se matarem a nascente, ai sim morrerá o rio, porque a população só tem a idéia do rio por essa massa de água que chega e passa na cidade mas não pensamos que essa massa passa em Balsas mas nasce num lugar. E esse lugar, que é crucial, não tá merecendo o devido cuidado. Falei hoje com Chico Coelho sobre isso e ele disse que o deputado José Gomes andou empunhando essa bandeira, algum tempo atrás, junto com outras pessoas como o Giltarlã e as Pastorais mas o trabalho não mereceu dos poderes públicos o devido tratamento. O Giltarlã me disse que alertou muito sobre o processo de grilagem daquelas terras mas não teve apoio e hoje em dia…tá daquele jeito, do jeito que o Giltarlã vaticinava…Temos que agir o quanto antes nesse assunto e debater outros que estão na ordem do dia como a construção das barragens-, mas com ou sem romantismo? Participe, dê sua contribuição…É um prazer saber que meu nosso blog só cresce em acessos!
Elói Eduardo Pritzel:
Parabéns edil Ruberval por se preocupar com o Rio Balsas a partir da sua nascente….escrevi a partir da nascente porque com certeza a preocupação vai se estender por toda a sua extensão, inclusive dentro da cidade, onde o maior indice demográfico significa MAIOR POLUIÇÃO.Comentei com amigos que hoje existem LAVA JATOS perto, muito perto do riacho Caetano que deságua no Rio Balsas…Nobre edil preste atenção a isto também…Tenho certeza que temos como mobilizar empresas, associações, escolas para manter a SALVO o Rio Balsas ou teremos daqui alguns anos um canal natural de esgoto cortando nossa cidade ou um “irmão gêmeo” do Rio Tietê…
Mais uma vez parabenizo sua ação em prol do Rio Balsas e ações efetivas que vão além de debates e discursos vãos… Grande abraço
FONTE: Blog do Ruberval, vereador de Balsas

Achei o corrupto José Gomes,,só ainda não sei se se trata do mesmo que há um tempo atrás estava destruindo a nascente do Rio Balsas..
O José Gomes daqui de Goiás é este aqui

“STJ NEGA PEDIDO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO EM FAVOR DE ZÉ GOMES
Para que você internauta entenda o caso, essa é uma ação civil pública que iniciou-se em 1998, quando Prefeito Zé Gomes ainda era deputado federal e contratou esposas de jogadores e jogadores do Itumbiara Esporte Clube como assessores parlamentares.

O MP Federal o processou e agora esta chegando ao fim a ação com os recursos sendo negados. O último foi julgado no STJ, sendo negado provimento. Falta somente um recurso extraordinário no STF, que segundo opnião de alguns advogados poderá ser aceito ou não pelo STF, e ainda sendo, dificilmente mudará a setença condenatória das outras instancias, acompanhe abaixo relatório da Juiza Federal e em seguida decisão do Superior Tribunal de Justiça do dia 25/06/2009, já publicada no diário da justiça em 01/07/2009. por hora é isso abraços. (..).

Leia mais
http://tribunapopularitumbiara.blogspot.com/2009/07/stj-nega-pedido-de-agravo-de.html

Isso é Rio Balsas

Engraçado,,eu estou sendo a primeira pessoa a assistir a estes vídeos maravilhosos,,,,como consta que só tem 2 wiews, com certeza são visitas que em postou no YouTube…estranho,,,estas incongruências,,estas coincidências,,,mudando de assunto,.,,este é o último vídeo da sequência…chamem o mensageiro

Agora vamos à parte ruim mas necessária,,refiro-me à preservação do Rio Balsas como um todo,,este aí mesmo que, como todos os rios do planeta, se encontram no Jalapão assim como se o Jalapão fosse, é é, coração, o coração de nosso planeta,,,
E por acaso o coração não é o lugar onde todas as vias ou veias ou rios se econtram
Alguma dúvida de que Jalapão se escreve Jalapão ou Coração
???????
Distrai-me um pouco…é que não gosto de ponto de interrogação…
Por causa dessa interrogação esqueci tudo,,mas vou lembrar,,,parece-me que eu estava com o nome “José Gomes” na minha cabeça..
Ah, lembrei,,,…talvez eu deva procurar um local para escrever estes textos,,,ou então escrever e pedir para algum ir tirando antes de publicar, isto para não atrapalhar o trânsito por aqui,,bobagem minha, atrapalho não,,,daqui a pouco saio e as pessoas ficam a vontade..
Do que mesmo eu estava falando…
Balsas
Há uma cidade de nome Balsas, às margens do Rio
Balsas, este ao qual pertence o Jalação,,,melhor assim né,,,misturar logo Jalapão com Coração numa palavra só..
Há uns 10 anos, quando quando encontrava-me em Balsas, passando férias, assisti na TV uma denúncia de que o deputado José Gomes estava destruindo a nascente do Rio Balsas,,vi isso na TV Local de lá…após mais de 10 anos encontro noto que o mesmo assunto continua, agora por conta das eleições que se aproximam e aparece o mesmo tal José Gomes, agora como um dos que “empunharam a bandeira da defesa do Rio Balsas”
Ah, é mesmo?
Chamem o mensageiro, pois não estou entendendo mais nada,,, o cara que destrói apresenta-se como defensor…
A conferir:
” Rio Balsas em debate – com a palavra, você!
Visitamos neste final de semana a nascente do Rio Balsas. Ficamos impactados com a destruição e o abandono das margens desse patrimônio da cidade. Eu, a equipe da Saúde liderada pela dra. Lilizinha e o pré-candidato a deputado federal Giltarlã Araújo acordamos de reaquecer o debate sobre este tema, exigindo do governo do Estado a demarcação da APA (Área de Preservação Ambiental), colocando aquela área com os quenions de beleza singular na agenda ambiental do Maranhão, do País e do Mundo. Vamos unir as pessoas em torno das boas idéias em favor do nosso município. Vamos fazer algumas diligências junto à Secretaria Estadual e Municipal do Meio ambiente nesse sentido de averiguar como está esse processo de preservação daquela área. E vamos também pensar em preencher esse vácuo político, vácuo deixado pela desistência de Chico Coelho de se candidatar a deputado federal e de não termos um deputado federal prestigiado pelos governos, elegendo alguém jovem, com idéias novas, alinhado com o governo e prestigiado pelo governo estadual e federal e ainda com um histórico de envolvimento com as políticas públicas do nosso município e da região. Vamos trabalhar pelo consenso e, se for esse o entendimento, lançarmos um político novo para esta e outras tarefas de inserir o município no ciclo de progresso que o Maranhão está inaugurando.’
http://www.vereadorruberval.com.br/?p=312

Rio Balsas,,o meu rio,,ao menos o mesmo nome

Estes recorte ou viagem ou entendimento ou realidade através do rio está me provocando vertigens
Senão vejamos, sou da Bacia do Rio Balsas, uma nação
Até aí tudo bem se o Jalapão não fosse cortado pelo Rio Balsas,
Deve ser outro rio balsas, até mesmo porque ,,,,sei la´,,,,,a não ser que o Rio Balsas serpenteie,,,deve ser um rio homônimo,,o mesmo mesmo mas outro rio…mas tenho que tirar dúvida, pois será que tenho que falar hoje do local onde nasci, isto se levarmos em consideração o rio por inteiro?
Se o Jalapão pertencer ao Rio Balsas vou ficar extremamente sentido, pois se tratará de uma prova de que até hoje vive sem dar-me conta do meu derredor, hoje volto,,,
Segue link para belas fotos do Jalapão
http://br.viarural.com/servicos/turismo/parques-estaduais/parque-estadual-do-jalapao/default.htm
Até hoje não conheci o Jalapão,,,como não se falam tanto que é bonito,,,a vida é tão curta para se ver tudo…o mais intrigante é que o Jalapão pertence ao Rio Balsas, às margens do qual nasci…a não ser que seja um rio batizado com o mesmo nome, pode ser,,tenho que tirar a dúvida hoje mesmo,,,,…após esta pequena citação segue ao final um link para belas imagens,,,uma bananeiras,,,muito bonito,,,engraçado, esta paisagem, esta serra lembra a paisagem da infância do IV Avatar, bem como estas bananeiras, é que o lugarejo onde o IV Avatar (Da Lata) se chama bananeira,,,isso tá me dando vertigem
“(….) Conhecer o Jalapão é conhecer o improvável e o impossível juntos. Improvável pois, andando de carro pelas estradas, observando o cerrado em volta, não se imagina que vai encontrar tanta água e tão limpa como você encontra. Também não parece provável encontrar formações rochosas como lá existe. Tampouco uma duna verdadeira, de areia tão fina e dourada que parece… ouro em pó. Impossível existir um local como o Fervedouro: você simplesmente entra num olho de mina gigantesco (aliás, dezenas de minas) e simplesmente não consegue afundar. O constante movimento ascendente da água quer jogá-lo para fora. Lá você conhece a “areia liquida”. Só vendo para entender. O ideal é entrar por Ponte Alta do Tocantins (alcançada através de Brasília, Alto Paraíso e Natividade) e fazer o passeio inverso, até a Cachoeira da Formiga. Depois, a não ser que você esteja em viagem para o norte, o melhor é retornar pelo mesmo caminho. A estrada é toda em areia e pedra, sendo necessário pelo menos uma picape com tração traseira (no período das secas). O ideal é um 4×4, mesmo original. Não existe nenhuma infra-estrutura a partir de Ponte Alta, portanto, leve comida, material de camping e combustível sobressalente. O percurso é superior a 400 kms sem abastecimento e com alto consumo. (…)”
http://arquivosreporter.blogspot.com/2008/11/jalapo-o-improvvel-e-o-impossvel-juntos.html
Achei,,,!!!!!!!!!!!
É ele mesmo
Achei o rio onde nasci,,
É ele mesmo
No minuto 1:29 deste vídeo,,,depois da pedra furada